25/11/2010 | por

Quando você decide derrubar a parede

Quando você decide derrubar a parede Derrubar uma parede é libertador. Num piscar de olhos (e, claro, uma certa bagunça no seu lar), você ganha luz e a sensação de ter muito mais espaço para circular. Bom mesmo é fazer esse tipo de reforma com a casa vazia, o que nem sempre é possível… Para… Ver artigo

Compartilhe
Quando você decide derrubar a parede
Derrubar uma parede é libertador. Num piscar de olhos (e, claro, uma certa bagunça no seu lar), você ganha luz e a sensação de ter muito mais espaço para circular. Bom mesmo é fazer esse tipo de reforma com a casa vazia, o que nem sempre é possível… Para encarar a obra e evitar o efeito de um terremoto no seu lar-doce-lar, é preciso proteger os móveis da poeira do quebra-quebra e também contratar a faxineira por uns dias extras para controlar o caos. Além de, claro, entoar alguns mantras de desapego durante o processo…
Geralmente quebra-se uma parede em um ou dois dias. Mas ainda tem a pintura e os arremates necessários para um trabalho decente. Por isso, conte logo com 10 dias de aventura na sua casa. Quando estamos preparados, o impacto é sempre menor. O primeiro passo é orçar o serviço com, pelo menos, três profissionais. E nunca, jamais, em hipótese alguma, combinar um trabalho sem saber quanto vai custar no final. Outro dia, em um ato falho, acabei sucumbindo à terrível frase: “Depois a gente vê isso, vai sair barato”. Claro que o barato saiu muito caro. O autor da frase recebeu um valor extorsivo como pagamento e perdeu a chance de realizar outros serviços para a contratante. Acontece…
Outra dica é pedir ajuda para um arquiteto-amigo. Por mais simples que a obra pareça, há sempre a possibilidade de algum acidente de percurso. Encontrar canos ou colunas de sustentação no meio da parede a ser derrubada, por exemplo. Uma planta do ambiente também ajuda bastante. O arquiteto pode ainda ajudar você a eleger os materiais mais adequados para arremates como batentes, pintura e emendas de piso.
Eu sou fã de paredes totalmente abertas. Mas uma porta de correr bem-planejada e executada, que divida ou una os ambientes a seu bel prazer, pode dar ainda mais versatilidade a sua casa.

salao

Derrubar uma parede é libertador. Num piscar de olhos (e, claro, uma certa bagunça no seu lar), você ganha luz e a sensação de ter muito mais espaço para circular. Bom mesmo é fazer esse tipo de reforma com a casa vazia, o que nem sempre é possível… Para encarar a obra e evitar o efeito de um terremoto no seu lar-doce-lar, é preciso proteger os móveis da poeira do quebra-quebra e também contratar a faxineira por uns dias extras para controlar o caos. Além de, claro, entoar alguns mantras de desapego durante o processo…

Geralmente quebra-se uma parede em um ou dois dias. Mas ainda tem a pintura e os arremates necessários para um trabalho decente. Por isso, conte logo com 10 dias de aventura na sua casa. Quando estamos preparados, o impacto é sempre menor. O primeiro passo é orçar o serviço com, pelo menos, três profissionais. E nunca, jamais, em hipótese alguma, combinar um trabalho sem saber quanto vai custar no final. Outro dia, em um ato falho, acabei sucumbindo à terrível frase: “Depois a gente vê isso, vai sair barato”. Claro que o barato saiu muito caro. O autor da frase recebeu um valor extorsivo como pagamento e perdeu a chance de realizar outros serviços para a contratante. Acontece…

Outra dica é pedir ajuda para um arquiteto-amigo. Por mais simples que a obra pareça, há sempre a possibilidade de algum acidente de percurso. Encontrar canos ou colunas de sustentação no meio da parede a ser derrubada, por exemplo. Uma planta do ambiente também ajuda bastante. O arquiteto pode ainda ajudar você a eleger os materiais mais adequados para arremates como batentes, pintura e emendas de piso.

Eu sou fã de paredes totalmente abertas. Mas uma porta de correr bem-planejada e executada, que divida ou una os ambientes a seu bel prazer, pode dar ainda mais versatilidade a sua casa.

FAÇA SEU COMENTÁRIO

  1. seis + = 8